Cinco coisas simples que você pode fazer para se proteger online

Protect Yourself Online

O advento da tecnologia possibilitou que profissionais interagissem online de qualquer lugar do mundo. No entanto, isto acarreta uma série de riscos, que podem levar à perda de dinheiro e de privacidade digital.

Os cibercriminosos podem roubar suas informações pessoais e financeiras, que podem usar para fraudá-lo ou vendê-las na dark web. Portanto, é importante proteger-se contra esses riscos.

A segurança da Internet consiste em proteger suas atividades online contra hackers, golpistas, etc. Os usuários mais expostos são aqueles que fazem transações e trabalham online.

Aqui estão algumas maneiras de se proteger contra golpistas e hackers online.

#1. Use software antivírus

Se você for atacado por malware, seu dispositivo poderá ser seriamente danificado e a segurança de seus dados poderá até ser comprometida. Nesse caso, os hackers podem obter acesso às suas informações pessoais ou até mesmo assumir o controle do seu dispositivo.

Uma vez instalado no seu dispositivo, o antivírus verifica se há arquivos suspeitos. Se detectado, ele remove o vírus e os arquivos infectados e os coloca em quarentena.

O antivírus deve ser atualizado regularmente porque, de acordo com as estatísticas do Kaspersky Security Bulletin 2021, cerca de 114 milhões de URLs maliciosos acionaram o antivírus da web Kaspersky em 2021. O relatório também afirma que mineradores maliciosos atacaram mais de “um milhão de usuários únicos de criptomoedas”.

O relatório da Kaspersky também observou tentativas de roubo de dinheiro de contas bancárias de 429.354 usuários por meio de malware.

Cada vez que um novo vírus é descoberto, uma assinatura exclusiva é atribuída a ele e o banco de dados de vírus é atualizado pelo fabricante do antivírus. É por isso que você deve atualizar seu antivírus quando solicitado.

Hoje, o malware avançado integra-se ao rootkit do sistema operacional do seu dispositivo e exerce controle administrativo. No entanto, as atualizações de antivírus agora verificam o rootkit e eliminam esses malwares poderosos.

Há também a ameaça de programas antivírus falsos, que na verdade são apenas malware. Você os instala e eles afirmam procurar vírus, mas em vez disso roubam informações.

Esteja ciente, entretanto, de que embora o software antivírus possa ser uma ferramenta importante para proteger o seu dispositivo, ele não substitui uma boa higiene online.

#2. Habilite a autenticação de dois fatores (2FA)

A autenticação de dois fatores é outra medida de segurança essencial. Ele adiciona uma camada extra de proteção ao exigir um código ou dados biométricos além de sua senha, para conceder acesso.

Como as senhas por si só não são suficientes para manter sua conta segura, o 2FA fornece segurança adicional para suas contas online. Na verdade, um grande número de provedores de serviços online oferece agora 2FA.

No entanto, enviar um código SMS para o seu telemóvel pode ser perigoso, pois os hackers estão agora a fazer trocas de SIM para obter o código de verificação. Para resolver este problema, foram criados aplicativos autenticadores.

Esses aplicativos autenticadores geram um código de verificação que você usa para fazer login. É aconselhável instalar o aplicativo autenticador em outro dispositivo, para que mesmo que seu dispositivo ativo seja roubado, os criminosos não obtenham o código.

Aqui estão alguns exemplos de aplicativos de autenticação: Microsoft Authenticator, Authy e Google Authenticator.

Muitos golpistas estão começando a se concentrar em aplicativos de negociação em vez de aplicativos bancários porque muitas corretoras não investem tanto quanto os bancos em infraestrutura de TI. Muitas corretoras ainda possuem infraestrutura desatualizada e não possuem firewalls em seus servidores web.

Hoje, não é incomum ver aplicativos comerciais que não suportam recursos biométricos, mas a maioria dos aplicativos bancários sim, porque os bancos precisam manter seus padrões de segurança atualizados. Este não é necessariamente o caso dos corretores.

Um golpista que se infiltra em seu aplicativo de negociação pode usar sua conta para fraudes de bombeamento e despejo. Bombear significa que, em vez de retirar seus fundos, ele os utiliza para comprar grandes volumes de ativos sem valor, criando a falsa impressão de que o ativo está em demanda.

A compra de grandes quantidades aumenta a demanda pelo ativo e aumenta o preço, e o golpista então vende sua participação adquirida anteriormente por um preço baixo e obtém lucro.

De modo geral, antes de baixar um aplicativo de negociação, deve-se verificar se a corretora é regulamentada ou não e se possui recursos suficientes para investir na segurança de sua infraestrutura e nuvem. Para os comerciantes retalhistas em África, as aplicações comerciais de corretores sul-africanos licenciados são geralmente consideradas como tendo um risco menor de violação de segurança ou perda de dados, uma vez que estes corretores devem cumprir os padrões de segurança estabelecidos pelos reguladores.

No passado, os servidores de corretores e bancos populares, ou de terceiros, foram infiltrados por hackers devido à infraestrutura deficiente, e os dados dos clientes foram roubados. Portanto, é muito importante evitar aplicativos que tenham sido sujeitos a violações de dados no passado.

Por exemplo, os dados pessoais de 1,7 milhões de clientes do Nedbank foram colocados em risco por uma violação de dados numa empresa terceira, a Computer Facilities (Pty) Ltd, que utilizaram para campanhas de marketing.

Portanto, você deve usar uma senha forte para proteger suas contas online e alterá-la regularmente. Não utilize senhas fracas, como data de nascimento ou sobrenome, que podem ser facilmente adivinhadas. Nunca use a mesma senha para contas diferentes.

Idealmente, uma senha forte deve ter pelo menos 12 caracteres com uma mistura de letras maiúsculas e minúsculas, símbolos e números.

#3. Não clique em links desconhecidos

Os dados mostram que muitos ataques de malware ocorrem quando os usuários clicam em links maliciosos. De acordo com a Cisco, empresa de tecnologia e segurança cibernética, 67,5% das pessoas que clicam em links suspeitos têm maior probabilidade de serem vítimas de ataques cibernéticos ao inserirem suas credenciais de login.

Os usuários mais expostos são profissionais e até gamers. Na verdade, esses usuários muitas vezes precisam se envolver ativamente por meio de e-mail e mensagens online.

É importante evitar clicar em links desconhecidos ou suspeitos. Alguns desses links são enviados para o seu endereço de e-mail fingindo ser empresas ou personalidades legítimas. Você pode passar o cursor sobre um link para revelar o URL de destino real.

Além disso, não confie em e-mails não solicitados e tenha cuidado com e-mails marcados como urgentes. De acordo com a Cisco, 94% dos malwares em computadores chegaram através de e-mails de phishing.

Mensagens não solicitadas podem conter vírus ou malware que podem comprometer suas informações pessoais, como senha e detalhes de cartão de crédito.

Muitos golpistas têm como alvo os profissionais enviando-lhes e-mails de phishing, nos quais você clica inadvertidamente no link do e-mail, o que os leva a uma página de login que se parece com a página de login do site que você deseja visitar. Inserir seus dados nesta página de phishing comprometerá sua conta.

Em alguns casos, os golpistas oferecem negócios bons demais para serem verdade, enganando você e fazendo-o clicar em um link que o levará ao negócio. Depois de clicar no link, um malware pode ser baixado para o seu dispositivo ou você pode ser redirecionado para uma versão falsa da página de login do remetente suspeito.

Quando você está na página de login falsa, todos os detalhes inseridos são espelhados pelos golpistas e roubados. A página falsa exibirá um erro e o redirecionará para a página genuína, para que você não suspeite de crime.

Se uma mensagem de e-mail não solicitada alegar ser de uma organização conhecida, como um banco ou uma corretora, acesse diretamente o site da organização em vez de clicar nos links da mensagem.

Além disso, preste atenção à grafia do site em uma mensagem não solicitada. Na maioria dos casos, a grafia pode parecer semelhante, mas sempre há um erro ortográfico.

Além disso, não forneça informações pessoais ou financeiras em mensagens de e-mail suspeitas ou não solicitadas. Isso geralmente é uma farsa.

É aconselhável ter cuidado ao receber mensagens ou links de fontes desconhecidas. Certifique-se de usar um filtro de spam e evite clicar em links ou baixar arquivos de fontes desconhecidas.

#4. Não instale aplicativos de fontes desconhecidas

Como uma pessoa ativa online, você precisará de muitos aplicativos para suas atividades. Podem ser mensagens, serviços bancários, jogos, comércio ou até entretenimento. É por isso que você precisa ter cuidado e ter certeza sobre os aplicativos que possui em seus dispositivos.

Milhões de pessoas foram vítimas de fraudes online porque instalaram aplicativos de fontes desconhecidas na Internet.

Os aplicativos baixados de fontes não verificadas também podem conter vulnerabilidades que podem ser exploradas por hackers.

Como varejista on-line, você deve primeiro obter aplicativos para seus dispositivos móveis na Google Play Store ou na Apple App Store. Você também pode obter aplicativos de lojas de aplicativos empresariais confiáveis.

Embora sua segurança não seja totalmente garantida, os aplicativos das fontes mencionadas acima podem oferecer um certo grau de segurança devido aos regulamentos rígidos que se aplicam aos desenvolvedores de aplicativos. Essas fontes também verificam aplicativos individuais antes de serem disponibilizados para download.

Embora o Google e a Apple tenham regras rígidas e muitas vezes removam aplicativos prejudiciais ou maliciosos quando detectados, é possível que pessoas inocentes tenham baixado os aplicativos maliciosos antes de serem descobertos.

Verifique sempre a data em que o aplicativo foi baixado e compare com o número de downloads. Se um aplicativo popular foi baixado há muito tempo e ainda não foi baixado, isso é um sinal de alerta.

A seção de comentários do usuário também fornece informações sobre o ponto de vista de terceiros, ou seja, outros usuários. Se as avaliações forem consistentemente ruins, significa que algo está errado com o aplicativo, e se as avaliações forem excepcionalmente boas e insubstanciais, também pode significar que a avaliação é falsa.

#5. Use uma VPN ao usar wifi público

Embora o Wi-Fi público tenha se tornado uma forma popular de se conectar à Internet, ele representa um risco significativo para a segurança da sua presença online, especialmente se você acessar sua conta bancária ou de negociação através de uma conexão pública à Internet.

As redes Wi-Fi públicas geralmente não são criptografadas, o que significa que sua atividade online pode ser facilmente interceptada por cibercriminosos.

O uso de uma rede privada virtual (VPN) cria uma conexão segura e criptografada entre seu dispositivo e a Internet, protegendo sua atividade online de olhares indiscretos, criptografando dados confidenciais.

Ao usar uma rede Wi-Fi pública, seus dados podem ser interceptados por qualquer pessoa na mesma rede. No entanto, uma VPN criptografa o tráfego da Internet e protege a sua privacidade online.

Além disso, quando você usa uma VPN, seu provedor de serviços de Internet (ISP) não consegue ver o que você faz online, o que significa que não pode rastrear sua atividade ou vender seus dados a anunciantes.

Em resumo, se você usa WiFi público com frequência, certifique-se de ter uma VPN paga instalada para garantir sua privacidade online.

Acidentes machucam, segurança não machuca

Sua privacidade online deve ser levada mais a sério, especialmente com a onda de golpes cibernéticos ultimamente. Os usuários mais expostos são aqueles que trabalham na área financeira, por exemplo day traders, porque há dinheiro em jogo e os golpistas os atacam.

Tente sempre usar senhas fortes e não use a mesma senha para várias contas, o que o deixará mais vulnerável a hackers.

Desconfie de mensagens não solicitadas ou plataformas que solicitem informações pessoais, como o número do seu cartão de crédito. Também é importante alterar sua senha regularmente para aumentar a segurança.

Por fim, tenha cuidado com as informações que você compartilha nas redes sociais, pois elas podem ser usadas por cibercriminosos para acessar suas contas, roubar sua identidade ou criar contas falsas em seu nome.